sábado, 31 de dezembro de 2011

Amigos

Léo,
Procurei lindas palavras para que pudessem descrever nossa amizade ou o imenso carinho e respeito que temos um pelo outro.
A amizade é um sentimento nobre, sublime, raro e são poucas pessoas que sabem reconhecer aqueles que realmente fazem a diferença em suas vidas.
Você é muito especial para mim, tenho-o como meu sobrinho, como um filho (que cresceu horrores nos últimos tempos rs), e acho muito linda nossa amizade,quando você canta pra mim, e eu acabo dormindo te deixando alone forever rsrs, nossa cumplicidade,  nossas bagunças, os segredos, quando você  puxa  minha orelha ou me mostra com uma maturidade incrível como as coisas são e não como deveriam ser.
Só posso desejar a você tudo de melhor que possa existir aos olhos do Criador.  Que continue sendo sempre um bom amigo, um bom sobrinho, um bom filho, um bom neto...esse grande ser humano!
Torço pela sua felicidade e só desejo o teu bem! Saiba que poderá contar comigo em todos os momentos da tua vida!
"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas."


Amoo você!
Com o meu carinho,
Lih

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011


"A maturidade me permite olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranquilidade, querer com mais doçura."

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011


Existe um pedaço de mim que te odeia por fazer todo o resto te amar tanto.
Aliás, um pouco de raiva não me fará mal. Há frutos que apodrecem por excesso de doçura!!!

Porto Seguro!

Eu soube  desde a primeira vez que te vi, que corria o risco de te querer. Talvez por ter em você um magnetismo difícil de explicar ou pelo  fato  de que eu sempre soube que corria o risco de te querer e quis, mas deixei guardado, lá no fundo do fundo do fundinho da memória, pra tentar esquecer.  Inventei  um querer bem de amigo, umas conversas despreocupadas e forcei a me convencer que bastava, que era isso e pronto! Nada mais. Amigos e só. Doce engano! A armadura se desfez nas primeiras palavras daquela noite, que pra mim parecia um feriado, daqueles bem compridos. Você montou frases em voz de veludo, ensaiou arranjos perfeitos e foi me desmontando todinha, arruinando a esperança que eu tinha de não sentir nada, nadinha (ai que mentira).Um mínimo de sentimento. Mas eu me vi feliz, sabe? Aliás muito feliz, como a muito tempo não via. Sabia que estava ferrada, que era tarde pra se chegar em casa, tão cedo raiava o dia, que tava lindo de tão feio. Mas não dei bola, eu queria aquilo, constatei. Eu queria MUITO aquilo, aquele momento, aquelas palavras, aquela certeza, aquele sorriso, aquele abraço, aquele conforto... Eu queria muito você! Eu me sentia bem.  Diga-se, muitoo bem!Como podia ser errado se eu estava feliz? Como podia? Não era, repetia pra mim mesma. Não era.
Uma vez me falaram, tamanho era meu silêncio, “ainda existem portos seguros” e eu não acreditava, não desse tipo. Ficava na minha redoma, ruminando o que ardia aqui por dentro e me virava sozinha, como podia, como aguentava fingir que podia. Daí veio você e eu senti segurança!!! – como já deixei escapar, tão nas primeiras vezes – e consegui acreditar que existiam sim portos seguros, e só eu que não tinha encontrado o meu porto ainda. E aí estava você, que me aninhava nos braços como se eles tivessem sido moldados só pra me abrigar. Eu me escondia no teu abraço e esquecia do mundo e acreditava que seria capaz de ir mais longe, que você seria capaz de me levar mais longe, de me fazer melhor e feliz e um pouco mais feliz. É daquelas felicidades que dá vontade de chorar, confesso. Uma lágrima boba que cai, como se quisesse dizer 'que bom que você esteve aqui'. Eu te esperei desde sempre!!!

sábado, 17 de dezembro de 2011

Quanto nos custa tomar uma decisão!

São tantos questionamentos que tomam a nossa cabeça quando pensamos em tomar uma decisão. Sem dúvida alguma existem decisões fáceis de serem tomadas; mas, também existem decisões difíceis.

Temos medos de arriscar nas nossas decisões, queremos para nós os finais mais tranquilos, quando nem sempre os finais são tranquilos.
Pensamos na comodidade, qual seria a melhor decisão a se tomar; mas, quando pensamos nas 'melhores' decisões, não estamos, na verdade, pensando nas decisões, senão em nós mesmo.
É bem verdade que as decisões dizem respeito a nós mesmo, e é bem verdade que devemos pensar em nós quando tomamos uma decisão, mas a questão é: Tomamos realmente a decisão que queremos ou tomamos aquela decisão que nos vai ser mais cômoda?
Conseguem entender onde estou querendo chegar? O que estou querendo dizer: Sabe aquela coisa que você quer fazer, mas não faz por medo?
Sabe aquilo que você tem oportunidade de fazer, mas não o faz por medo? Por exemplo: Hoje você pode escolher continuar a sua vida “medíocre” ou pode fazer aquilo que sempre quis, mas a verdade é que seria muito arriscado!
Muitas vezes escolhemos continuar vivendo a vida “medíocre” ao invés de fazermos aquilo que temos vontade de fazer.
É claro que tem coisas que temos vontade de fazer, mas NÃO podemos fazer; mas, existem as que temos vontade e queremos fazer, porém Não a fazemos!
Temos que decidir acerca da nossa vida, e na maioria das vezes optamos pela comodidade em lugar daquilo que queremos.
Ficamos parados ante a uma situação que poderia ser resolvida se tomássemos uma atitude audaciosa, se deixássemos de pensar no conforto, na comodidade, no egoísmo da vida.
No entanto, digo-lhes uma coisa: Devemos ter cuidado em como tomaremos essa decisão.
Uma decisão é uma decisão, se pararmos para pensar desta maneira as coisas serão menos complicadas.
Tome uma decisão hoje que pode mudar a sua vida, que pode mudar a sua história e a das pessoas que estão próximas da sua decisão.
Decida por aquilo que você realmente quer.
Se não der certo o máximo que pode acontecer é dar errado. Viva a vida como se o amanhã não fosse existir.
Jesus disse: Basta cada dia o seu mal.
Hoje pode ser o 'dia D' da sua vida, hoje pode ser o dia de você fazer diferente, de você fazer a diferença!!!
 E o que eu estou esperando???

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011


Aprenda a selecionar,
Coração não é panfleto de rua, para se entregar a primeira que passa!